Aplicativo nativo e aplicativo híbrido: quais as diferenças?

Ilhasoft

Com a crescente demanda mobile, lançamentos contínuos de smartphones e melhoria nos planos de internet, as empresas passaram a enxergar um mercado cada dia mais aquecido e cheio de possibilidades. Assim aplicativos nativos, híbridos e web apps surgiram e, embora estejam presentes em nosso dia a dia, nem todos sabem quais as principais diferenças entre eles.

Estas diferenças podem impactar na maneira como é desenvolvido o negócio, gerando altos custos muitas vezes desnecessários e até mesmo na experiência do usuário, influenciando diretamente no sucesso ou insucesso do aplicativo. Quer entender as diferenças entre o aplicativo nativo e o híbrido? Confira!

Aplicativos nativos

Os aplicativos nativos são aqueles desenvolvidos diretamente para o dispositivo, utilizando de linguagem de programação específica para o sistema operacional do smartphone em questão; Objective-C para IOs, Java para Android e C# (C Sharp) para Windows Phone.

Como o desenvolvimento é feito diretamente para a plataforma, se torna possível explorar todos os recursos disponíveis, como GPS, lista de contatos, câmera, calendário, agenda, entre outros recursos que podem potencializar ainda mais a forma como o aplicativo interage com o usuário.

A maioria dos jogos mobile são desenvolvidos diretamente para seus dispositivos (conheça o Brasil de Tuhu, um projeto que tem a missão de ampliar o acesso à música no Brasil), principalmente pela necessidade de utilizar recursos dos aparelhos. Como utilizam linguagens específicas, eles ficam totalmente otimizados e em pleno funcionamento.

Aplicativo híbrido

São aplicativos desenvolvidos com tecnologias para web, como HTML5, CSS e JavaScript. Estes aplicativos utilizam de frameworks, como Cordova, Phonegap e Sencha Touch, que os convertem para serem instalados nos aparelhos, fazendo parecer um aplicativo nativo.

Embora estes frameworks tenham funções que ajudam a criar interações com o aparelho, alguns problemas podem ocorrer, como atualizações de sistema operacional que podem mudar a forma como o aparelho interage com algum dos recursos disponíveis.

Web App

Os web app não são exatamente aplicativos, são na verdade páginas da internet acessadas por meio de um browser com uma interface desenvolvida para atender o público mobile, mas não significa que seja um layout responsivo. Aqui não é possível utilizar a maioria dos recursos do aparelho, isso porque a aplicação está rodando em um browser como Google Chrome, por exemplo.

Muitas vezes, estas aplicações são acessadas por um endereço diferente do original, como m.seusite.com ou mob.seusite.com. Alguns especialistas em SEO justificam esta como sendo uma prática ruim caso utilize o conteúdo do site principal por gerar duplicidade de conteúdo.

Nativo, híbrido ou web?

Esta é uma questão muito importante na hora de decidir como lidar com um projeto. Muitas questões devem ser abordadas para responder esta questão, como se a aplicação será apenas uma view de um conteúdo do site, se a informações também poderão ser acessadas off-line, se utilizará recursos do aparelho smartphone.

Embora os híbridos pareçam uma boa escolha por diminuir os custos, os aplicativos nativos podem oferecer uma experiência muito mais interessante para usuário.

Como o desenvolvimento é todo realizado pensando no sistema operacional no qual a aplicação será instalada, ele pode funcionar de maneira otimizada, que exija apenas os recursos que serão utilizados, como a memória Ram, que é um enorme problema em aparelhos de custo menor que não possuem muita memória disponível.

Ter uma empresa especializada no desenvolvimento de aplicativos nativos com certeza é um enorme diferencial (confira aqui 7 dicas para escolher a desenvolvedora de aplicativo da sua empresa), assim, sua empresa pode se preocupar apenas com a lógica do negócio.

Gostou deste post? Quer saber mais sobre criação de apps? Siga a gente no Facebook e no LinkedIn e fique por dentro de todas as novidades!

  • Muito bom o post Parabéns para o time da Ilhasoft

  • Anderson Dias

    ótimo post